Redes sociais

Para quê serve cada rede social? Saiba mais sobre as mais utilizadas atualmente

As redes sociais sempre existiram, desde quando o homem se reunia em torno de fogueiras para conversar, ou seja, o ponto comum de quase todas as redes são os nós e ligações entre as pessoas. No contexto atual elas acabam remetendo às redes sociais digitais, ambientes constituídos por integrantes com interesses em comum (como hobbies, afinidades, gostos pessoais etc), que formam uma comunidade, na intenção de compartilhar conteúdos do tipo informações, textos, fotos, imagens, áudios, vídeos, entre outros.

Porém, essas redes deixaram de ser apenas uma forma de entretenimento ou de amenizar a distância entre as pessoas e se tornaram ferramentas de comunicação potentes, que podem ser usadas com outros propósitos, inclusive profissionais.
Elas são várias, conheça um pouco mais sobre as principais:

Facebook: Foi lançado em 2004 e atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos. É a maior rede social digital em todo o mundo, nela os usuários criam um perfil pessoal e podem se conectar a outras pessoas. Na chamada timeline, podem publicar textos, vídeos e imagens e compartilhar conteúdos de outros usuários. Desenvolvedores de aplicativos podem se beneficiar do Facebook ao associar aplicativos a ele, o que lhes permite usar dados da plataforma para conectar mais pessoas facilmente. E toda empresa que queira anunciar pode usar o Facebook para fazer postagens patrocinadas, escolhendo o público que deseja impactar.

Na plataforma há diversos grupos, comunidades, fanpages e eventos cadastrados, o que tem permitido que as pessoas encontrem lá dentro praticamente tudo o que buscam. Como perfil pessoal você também pode usar a plataforma para falar de seu trabalho e compartilhar conteúdos relevantes. Como marca ou empresa, convém diversificar seus canais, pois essas mídias são emprestadas, ou seja, construir uma base de seguidores ou publicar conteúdos apenas nela pode ser perigoso, visto que algum dia pode sair do ar, por exemplo, ou não ser fácil recuperar as informações publicadas anteriormente, o que também dificulta que seu público o encontre via Google.

Recentemente uma novidade sacudiu a plataforma, os usuários passaram a poder fazer transmissões ao vivo, chamadas de live, que são publicadas em seu perfil e podem ser assistidas por amigos ou pelo mundo todo.

No início o Facebook fez sucesso entre os mais jovens, mas agora eles estão migrando para outras redes sociais, como o Instagram e o Snapchat, mais focadas em fotos e vídeos e menos usadas por seus familiares, assim eles são menos “vigiados”.

YouTube: Foi criado em 2005 e se trata de uma plataforma que permite que seus usuários carreguem e compartilhem vídeos gratuitamente. Nela há vídeos sobre praticamente qualquer tema e é hoje o segundo maior buscador depois do Google. Você pode usar para subir seus vídeos, que podem ser públicos ou privados. Há muita gente fazendo da plataforma um canal incrível para se posicionar e ganhar dinheiro quando se transformam em Youtubers. O conteúdo por eles produzido pode ser associado à publicidade e, assim, o Youtube paga um percentual ao dono do canal. Mas para que os números sejam bons os vídeos precisam ser realmente bem feitos, além de precisar de muitos seguidores conectados visualizando o material.

Twitter: Foi criado em 2006 e é uma rede social que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos em textos curtos, chamados de tweets, que podem ser acompanhados pelos seguidores do perfil. Esses tweets podem ter imagens, vídeos e links. Tornou-se uma ferramenta interessante para programas de TV que incentivam a participação de telespectadores por meio do uso de hashtags específicas, assim, estimulam que o público publique algo por lá e inclua essa hashtag, o que permite que possam acompanhar as interações deles e até medir a audiência no programa de alguma forma. No Twitter estão muitos dos chamados influenciadores digitais, que podem levar à formação de opiniões e destacar assuntos.

Linkedin:  Foi fundado em 2002 e seu foco é exclusivamente profissional, ou seja, permite ao usuário criar um perfil e nele informar suas experiências profissionais e acadêmicas, sua formação e até mesmo escrever textos que podem ser lidos por pessoas do mundo todo, funcionando como uma extensão mais viva e dinâmica de seus currículos. Por lá os perfis podem encontrar vagas de emprego, conhecer novas pessoas, participar de grupos e comunidades. A grande sacada do LinkedIn é ser bem ativo, apenas criar seu perfil e esperar que o emprego caia do céu, não vai funcionar. Empresas também podem criar suas páginas por lá para publicar conteúdos.

Instagram: uma rede social em que o foco são as fotos. Toda postagem exige a existência de uma imagem, que pode receber filtros para torná-la mais atrativa. Os perfis podem ser seguidores por outras pessoas e o interessante é postar usando hashtags para permitir que as postagens sejam encontradas por outras pessoas, ampliando sua rede. A plataforma tem sido bastante usar por influenciadores digitais, pessoas comuns, na maioria das vezes, que por publicar conteúdos que as pessoas julgam bacanas ou focados em certos nichos, acabam atraindo muitos seguidores, o que leva diversas marcas a pagar para que perfis falem sobre elas em suas postagens. Também é possível fazer posts patrocinados no LinkedIn e recentemente foi lançado um novo recurso que permite publicar vídeos curtos e imagens, que vão se unindo e formando uma espécie de história. Transmissões ao vivo também já começam a ser possíveis.

Snapchat: Que agora se chama Snap, o queridinho dos jovens, que permite publicar fotos e vídeos curtos que vão se somando e formando uma história. Os vídeos lá publicados duram no máximo 24 horas, é possível ver quem deu um printscreen de sua tela e quem assistiu sua publicação. Por ser menos intuitivo e os conteúdos terem um tempo de duração menor, muitos adolescentes preferem estar nessa plataforma, pois se sentem mais livres e menos vigiados. Tornou-se comum que pessoas em todo o mundo compartilhem seu dia a dia nos mais diversos lugares e situações, que são acompanhados pelos seguidores logo em seguida ou em tempo real.

E você, já está usando quais delas? Que tipo de conteúdo publica? 😉

 

IMG_9562

 

 

Flavia Gamonar é professora em cursos de pós-graduação, doutoranda em Mídia e Tecnologia, pesquisadora sobre a nova ecologia dos meios e palestrante sobre marketing e carreira. É co-fundadora da Content Review Brand Yourself e CEO da Hubico, empresas especializadas em marketing e produção de conteúdos. Escolhida uma dos 15 Top Voices Linkedin pelo produção de artigos de destaque na plataforma em 2016.