Chás para emagrecimento rápido!

Hoje no mercado existe uma variedade grande de chás para emagrecer rápido, confira os alguns chás e potencialize seu emagrecimento.

 

cha  1

 

Ter um corpo perfeito, sem aqueles terríveis quilinhos a mais comprometendo nossa silhueta é o sonho da maioria das mulheres, principalmente no verão em que usamos roupas mais leves e biquínis. E nessa busca pelo corpo perfeito, alguns chás bastante conhecidos, combinados a hábitos alimentares saudáveis podem potencializar um emagrecimento rápido.

Você sabia que o frio é a época que nosso corpo retém mais líquido e a melhor época para emagrecer rápido? Nosso corpo precisa se manter mais aquecido no inverno e consequentemente usa mais energia e queima calorias em maior quantidade e mais rápido, por isso fazer uso dos chás emagrecedores no inverno, além de nos manter aquecidas ainda nos auxiliam a emagrecer.

Confira os benefícios de alguns chás que comprovadamente auxiliam no emagrecimento rápido.

 

Chá branco emagrece mesmo?

 

cha  2

 

O chá branco auxilia a emagrecer rápido e de maneira saudável, isso porque tem a ação desintoxicante, é diurético e acelerador de metabolismo, o que favorece o emagrecimento. E o melhor de tudo é que seu sabor não é tão amargo quanto o chá verde. O chá branco é derivado da planta Camellia Sinensis e o seu diferencial está na colheita das folhas que se dá antes das flores se abrirem, somente em dois dias do ano. O chá branco é rico em manganês, potássio, ácido fólico e vitaminas c, k, B1 E B2. Também previne doenças cardíacas, controla a pressão arterial e diminui a taxa de colesterol ajudando a emagrecer rápido. Segundo os especialistas, o ideal é consumir de 500 ml a 1 litro de chá, quente ou frio por dia, entre os intervalos das principais refeições.

 

Chá verde emagrece rápido?

 

cha 3

 

O chá verde, assim como o chá branco, também é derivado da planta Camellia Sinensis e também desincha, desintoxica e acelera o metabolismo, por isso queima gordura. Possui um sabor mais amargo, mas mesmo assim tornou-se o queridinho da vez. Estes chás ajudam na perda de peso rápido, diminuem a taxa de colesterol, controlam a pressão arterial, ativam o sistema imunológico, têm ação cicatrizante e quando usados em bochechos ajudam a combater infecção de garganta. Recentes estudos feitos por pesquisadores japoneses associam o consumo do chá verde ao menor risco de desenvolvimento de doenças como o câncer de pele, de pulmão, de ovário e próstata. Mas é recomendado não abusar muito da bebida, pois em excesso podem levar a gastrite devido à cafeína, quando aliado a uma dieta equilibrada e saudável os chás podem ajudar na perda de até 5 quilos em 15 dias.

Tome de 500 ml a 1 litro de chá de chá verde por dia, meia hora antes das principais refeições ou duas horas depois, para amenizar o gosto amargo o segredo está em não ferver o chá com a água, por isso antes da água entrar em ebulição, apague o fogo e acrescente de 1 a 2 colheres rasas de chá verde e abafe por alguns minutos, depois basta coar e ir tomando durante o dia, entre as principais refeições.

 

Chá 30 ervas é bom para emagrecer?

 

cha 4

 

Um dos chás mais famosos em auxílio rápido de redução de peso é o chá 30 ervas. As plantas que compõem o chá atuam no controle da ansiedade, melhorando a digestão, e também como uma espécie de laxante e diurético, sendo recomendado por muitos médicos e nutricionistas. Seu consumo dificulta a absorção de gorduras e ainda combate estrias e celulites, além de acelerar o metabolismo, por isso o chá 30 ervas promove o emagrecimento rápido e saudável. O ideal é tomar no máximo 1 litro de chá por dia, dividido em pequenas porções. Para seu preparo ferva 1 litro de água, desligue o fogo e adicione 2 colheres rasas da erva e abafe por alguns minutos. O chá 30 ervas pode ajudar a eliminar até 10 quilos por mês, desde que combinado a hábitos alimentares saudáveis, mas atenção. O chá 30 ervas é contraindicado para pessoas quem têm tendência a hemorragia, miomas, infecções no intestino, gastrite e gestantes.

 

Dicas de chás para emagrecer rápido

Confira outros chás que ajudam a emagrecer rápido:

 

Chá de hibisco

O chá de hibisco reduz gordura e ainda ajuda na retenção de líquidos.

 

Canela com gengibre

Tanto a canela como o gengibre são considerados termogênicos, por isso aceleram o metabolismo, ajudando a queimar calorias e ainda dá energia e melhora a disposição.

 

Chá de Oliveira

Dizem que o chá de oliveira é melhor que abdominal quando o assunto é eliminar as gordurinhas que se acumulam na região da barriga.

 

Para que todos os tipos de chás possam trazer benefícios rápidos, é necessário aliá-los a uma dieta balanceada e saudável, além de atividades físicas, pois somente assim conseguirá o resultado esperado de emagrecer rápido e com saúde e não exagere, embora os chás apresentem vários benefícios à saúde, o consumo prolongado pode trazer efeitos adversos, o ideal é consumi-los por duas semanas.

 

 

 

 

Quem gosta de sorvete? Se ainda não conhece, não sabe o que está perdendo!

Para quem ama sorvete assim como eu, não pode deixar de conhecer o melhor sorvete que já experimentei, mas terão que vir pra São Paulo, pois ainda estão somente aqui na capital, a sorveteria Bacio di Latte. O meu preferido é o de pistache…..  vocês não vão acreditar, perfeito!

Com lojas: shopping:  JK iguatemi, Morumbi, Pátio Higienópolis (em breve), Ibirapuera e nas ruas:  Bela Cintra e Oscar Freire nos Jardins, na rua Harmonia Vila Madalena e Av. Rouxinol em Moema.

Experimente e depois me conte se gostou!

Beijos

 

bacio1

C_Bacio-di-Latte-1

 

bacio-di-latte-03

Looks e peças para trabalho, para vocês se inspirarem! Dresscode de trabalho…

Bonitas, esses looks são para quem precisa trabalhar, por algum motivo, um pouco mais formal, eu particularmente adoro as pantalonas com camisas ou blusa de seda, sempre moderando no decote é claro, e sem tranparências, cuidado maior se for colocar roupa branca com a lingirie a ser usada para não marcar, principalmente na calça (dica: usar um shortinho de meia). Esses looks, os que tiverem com sapato salto agulha e sandálias, desconsiderem, pois não é dresscode de trabalho, se atentem apenas as roupas….. Os acessários que vocês podem usar para modernizar o look, são bolsas e sapatos coloridos (sem ser salto agulha, nem sandálias, o ideal é um salto médio), lenços de seda, bijou com pérola e pedra natural mas de tamanho pequeno ou médio e sem pinduricalhos, cintos, além de um perfume bem suave e indicado para o dia para não enjoar os que trabalham com você, cabelo normal (sem ser esvoaçante como em algumas fotos) ou preso (um coque desconfigurado ou rabo baixo)…..

Não esqueçam de adequar o modelo escolhido ao seu tipo físico, por exemplo: quem tem quadril grande não fica legal a saia lápis porque fica parecendo sereia fazendo aquela curva exagerada, pois marca muito!

Ah, e a maquiagem bem natural, tem que ver que está bonita (pele e olho) mas que não percebam muito a maquiagem.

Espero que gostem.

Beijos

 

 

terninho-feminino-com-saia vermelho

 

terninho-feminino-branco

 

Terninho-Feminino 1

terninho colorido

terninhos 1

Terno-Feminino-com-Saia-4

pantalonas

pantalonas2

pantalonas 3

pantalonas 4

calca trabalho 1

calca trabalho 2

calca trabalho 3

calca trabalho 6

saia lapis

saia-lapis 3

saia-lapis 4

saia envelope preta e bege

vestido trabalho vestido trabalho 2

vestido tubinho

tubinho 3

tubinho 2

saia-lapis 5

Decoração de Natal: tem como resistir?

Olá rycas&bonitas!

 

Incrível como hoje em dia, cada vez mais, o Natal se antecipa né?

Mal chega novembro e o pessoal da área de marketing de lojas e shoppings já estão empenhados em nos fazer focar nos gastos de Natal e Ano novo!

Uma fez prontas, é simplesmente impossível passar imune as decorações de Natal!

Algumas são inacreditáveis de tão lindas e bem feitas, levando não só as crianças mas também os adultos  para uma mundo lúdico e cheio de sonhos!

Dei uma passeada pelos shoppings e a minha decoração preferida foi a do Shopping Iguatemi da Av. Faria Lima, que fez o tema Circo de Natal, com ursos gigantes, macaquinhos malabaristas que se mexem e papais e mamães noel em tamanho natural! Ainnn são tão lindos, tão bem feitos, tão fofos, que dá vontade de levar pra casa!

Como todo ano fazem, usaram um espaço específico no andar térreo e, pelo tamanho das animações, ( IMENSAS!) criou-se um clima muito bacana, onde os pequenos se sentem como brinquedos e os “grandes” se sentem como crianças!

20131101_202800

Ficou muito legal e vale a pena a visita, pois além do Circo de Natal, em todo o shopping você vai encontrar ursos gigantes, papais noel animados, com cachorrinhos, com macacos pulantes, tudo para que vc possa fazer uma boa variedade de fotos com toda a sua família. E não adianta bancar o forte: você não vai resistir em tirar uma foto com um urso enoooooorme e vai se encostar nele e querer dar um jeito de levar embora com você! rsrrsrs!

Parabéns aos pessoal que bolou esta decoração, de todas, foi a que mais me comoveu!

Bjkas fofuras!

 

Alezinha

 

O Shopping Iguatemi fica na Av Faria Faria Lima e funciona das 10 da manhã as 10 da noite.

 

Dicas de modelos de vestidos e estampas que devem ser evitados por quem está acima do peso !

Para quem está acima do peso ou mesmo pra quem é ou está gorda, vou dar alguns exemplos e dicas que se deve evitar, o nosso propósito será sempre esconder o que não está legal e evidenciar o que tem de mais bonito! Vocês já devem ter percebido que,  tem roupas que colocamos que parecemos no mínimo 10 kg maior,  sendo assim vou citar alguns exemplos que  deve ser evitado. No próximo post vou citar os que devem ser usados e  truques que ajudam nessa hora!

Exemplos de modelos que não favorece:

 

vestidos contra gordas 1

Estampa grande com fundo claro e franzido na frente, aumenta a região da barriga! Franzido no busto, aumenta o busto.

 

vestidos contra gordas 2

Vestido em camadas deve-se evitar pois esse efeito aumenta de verdade!

 

vestidos contra gordas 3

Vestido com tecido listrado ou com detalhes no mesmo tecido que visualmente vemos listras horizontais, aumenta muito, super contra indicado!

 

vestidos contra gordas 4

O branco aumenta muito, para qualquer pessoa, e esse franzido que vai do meio para lateral aumenta horizontalmente, além do tomara que caia ser contra indicado para as gordinhas.

 

vestidos contra gordas 5

Tecidos brilhantes aumentam, o ideal é usar um opaco e de cor escura.

 

vestidos contra gordas 6

Muito franzido também aumenta!!

 

vestidos contra gordas 7

Nesse caso além do tomara que caio não indicado também temos babados na região abdominal que cria volume.

 

vestidos contra gordas 8

Transpassado com franzido aumenta e vestido em camadas também (nesse modelo reto em cima e camadas embaixo seria ideal para quem tem quadril pequeno com perna fina mas tem abdomem, costas e busto).

 

vestidos contra gordas 9

Alças fininhas e babados: 2 ítens proibitivos.

 

vestidos contra gordas 10

Estampa e franzido dois ítens que aumentam volume! Modelo ideal para as magérrimas e de preferência com altura!

 

vestidos contra gordas 11

Não indico tomara que caia, ainda mais em forma de coração como este fica tomara que CAIA mesmo!

 

vestidos contra gordas 13

Esse modelo que abre na cintura aumenta quadril e parte inferior do abdomem, super contra indicado.

 

Estampas que também devem ser evitadas em vários modelos de roupas!

 

estampa gde fundo branco 1

Estampa com flores ou figuras grandes, aumentam.

estampa gde fundo branco 2

Estampas contrastantes, fundo branco como esse pied de poule, aumentam.

estampa gde fundo branco 3

Grafismos que dão ilusão de ótica para horizontal como as fotos: 1,2,6 e 7

estampa gde fundo branco 4

Mesmo caso do citado acima, aqui você consegue perceber bem como aumenta o quadril (amplia para os lados).

estampa gde fundo branco 5

Estampas grandes principalmente com fundo claro aumentam bastante!

estampa gde fundo branco 6

Estampa grande,  olha como aumenta (mesmo o fundo não sendo tão claro).

estampa gde fundo branco

Estampa grande com fundo branco,  aumenta demais!

estampa onca

Olha nessas fotos, a onça geralmente aumenta,  principalmente as de tamanho maior, então prefira as onças menores e dê preferência para usar apenas em uma das partes do corpo, a que você julgar menor, por exemplo,  quem tem um quadril grande se colocar uma saia como a foto acima irá aumentar mais ainda!

 

 

Forte candidato ao Oscar de 2014!

O filme que evidencia os 34 anos de serventia de um mordomo, chamado Eugene Allen, à Casa Branca e serviu 8 presidentes, lançado este mês, é um dos preferidos para o Oscar, quem ainda não viu, corra!!! Fantástico.

 

Filme

 

The Butler

Forest Whitaker que interpreta Eugene Allen. Vale a pena assistir!

Ei! Sua Bonita! Você é linda por dentro???

*Por Jackson Rangel Vieira

 

caneta

Você já fez aquela revisão no guarda-roupa, no closet, no guarda sapatos? Não! Não me refiro aos lugares aonde você organiza toda sua vida fashion? Esta parte da rotina é importante, porém fundamental é a sua disposição de parar com tudo e fazer arrumação no seu interior, conhecer sua beleza de dentro para fora.

Talvez aja necessidade de fazer as unhas, uma maquiagem mais leve, um traje ocasional, rasteirinhas, enfim, uma aliviada na tensão que não tem deixado você se sentir confortável e bonita por fora por mais nova e melhor grife de acessórios e roupas à medida para entrar no ambiente, e dizer “cheguei!”, se lhe faltam o carisma e sorriso.

Sua alma também sente necessidade de qualidade de vida, de reciclagem regular, com aquele brilho. Dê um upgrade já na sua beleza interior. Linda por fora, poderosa, e feia por dentro? Não! Sinta a satisfação de ser bonita por fora e bonita por dentro. Jogue fora todos farrapos que veste seu espírito. Ele tem de estar em estado de graça.

Sua bonita! Deixa o passado que passou! Compra tudo novo. Vida nova. Deixa o futuro de levar, linda, leve e solta, de corpo, alma e espírito. E nada de amigo (a) nessa hora, de aconselhamento. É você com você! Para ficar completa. Cheio de graça! Se entender, dá um sorriso! Assim!

 

Fast Fashion está com tudo!

Olá bonitas, agora é a vez de Lenny Niemeyer, irá fazer uma coleção voltada para o fast fashion, assim como Cavalli, Patrícia Bonaldi, entre outros famosos….. Dia 03 de dezembro estará nas araras da C&A, a coleção terá claro, biquinis e maiôs e também acessórios e roupas de resort. Eu amo Lenny, para quem adora seus biquinis um prato cheio , pois os preços irão de 49,00 a 129,00 ! Aproveitem a dica!

Para quem não conhece sua marca, estou colocando alguns modelos do verão 2014. Vamos esperar agora os modelitos para C&A.

Beijos

 

 

Lenny-Niemeyer 1

 

Lenny-Niemeyer 3

 

Lenny-Niemeyer 5

 

Lenny-Niemeyer 4

 

Lenny-Niemeyer 2

A Droga da Droga!

drogas 1

 

drogas 2

 

Hoje posso dizer: Prazer em conhecê-lo!

Este espaço estarei ocupando a partir de hoje para falar às pessoas que tem problemas com dependência química ou alcoólica, assim como as pessoas próximas a esses dependentes, os chamados co-dependentes. Sim, porque a família e as pessoas que vivem no círculo mais próximo ao dependente, mesmo que forçadamente acabam vivendo esta realidade e sentindo na carne as suas consequências.

Mas neste primeiro contato acredito que o melhor seja eu me apresentar. Sou José Antonio Jayme, jornalista, publicitário e dependente químico na sobriedade. Escolhi, para esta apresentação, um depoimento que dei no ano passado, quatro meses depois de ter deixado a clínica de recuperação. Você ler este depoimento é importantíssimo para que possam conhecer ao menos um pouquinho de mim e, desta forma, possamos ter uma relação de troca e de acréscimo de conhecimento para todos nós. Aqui me desnudei. Sou eu, apenas. E é tudo!

Meu Depoimento

“As drogas me deram asas para voar… Mas me tiraram o céu”.

 

Não importa onde eu parei, em que momento da vida eu me cansei. O que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar. Dar uma nova chance a mim mesmo. Renovar as esperanças na vida e, o mais importante, voltar a acreditar em mim.

Sofri? Foi aprendizado. Chorei? Foi limpeza da alma. Fiquei com raiva? Foi para perdoar. Provoquei raiva? Foi para aprender a corrigir os erros. Senti-me só por diversas vezes? Foi porque fechei as portas para os outros. Mas, quando acreditei que tudo estava perdido, foi o início da minha melhora, porque então senti que precisava renascer.

Recordo que, na sessão de terapia em grupo, internado numa clínica de recuperação, no ano passado, todos nós, internos, precisávamos contar sobre nossas vidas e o envolvimento com as drogas. Cada um tinha uma história que “justificava” esse vício. Famílias desestruturadas, desilusão amorosa, envolvimento com o crime, doenças, etc. Quando chegou minha vez de falar, senti vergonha… Eu não tinha nenhuma tragédia em minha vida para que eu pudesse usar como “justificativa” e me sentir vítima do sistema, tendo em quem “jogar a culpa” dessa viagem pelo mundo das drogas.

Minha história começa como um conto de fadas: o rapaz do interior que aos 25 anos já era diretor de criação de uma das maiores agências de Publicidade de São Paulo, criando anúncios para a Ford Brasil, Nestlé e outros. Sempre gostei da minha profissão e dos meus trabalhos. Tive a sorte de casar-me com a mulher que amo, uma brilhante psicóloga. Procurando uma vida mais calma, optamos em retornamos para Catanduva, nossa terra. Aqui fui diretor de rádio e de televisão. Fui dono de revistas, Jornal e agência de propaganda. Fui colunista nos principais veículos de comunicação e apresentador de TV. Minha felicidade se completava na vida familiar, com duas filhas lindas e amorosas, uma cursando hoje o 9º ano, excelente aluna e cheia de planos e a outra cursando o 2º ano de faculdade de medicina.

O histórico familiar? Sou o único filho homem de uma família de cinco filhos. Amado pelos pais e pelas irmãs. Na adolescência meu único vício era o cigarro. Não gostava de cerveja. Odiava o cheiro da pinga. Descartava qualquer bebida alcóolica. Minha única experiência com as drogas foi com a maconha, aos 20 anos. Experimentei e não gostei. Parei por aí. Estava absolutamente certo e confiante que jamais percorreria a estrada do vício e da dependência. Isso era coisa de gente fraca. Eu era dono do meu destino e isso não aconteceria comigo.

Mas minha vida começou a mudar aos 35 anos de idade. No auge da carreira. Um profissional de sucesso. Badalado. Paparicado. Cercado de amigos e pessoas diversas. Festas, inaugurações, gravações…

Foi então que fui apresentado a ela… Me apaixonei!

Durante 10 anos tivemos um relacionamento perfeito. Nos curtíamos sem alardes, sem despertar comentários. Nos encontrávamos nos fins de noite, nos finais das festas. Às vezes ficávamos semanas sem nos ver. Mas quando nos encontrávamos novamente era aquela explosão de alegria.

Quando me dei conta não podia viver sem ela: a cocaína!

Nos últimos cinco anos nosso convívio foi intenso, diário. Chegou um momento em que cheirava dias e dias seguidos. Não tinha sono? Tomava um sonífero. Não tinha fome? Disfarçava remexendo a comida no prato e inventando desculpas. O importante é que com ela sentia-me vivo. Inteligente. Brilhante. Descolado. Cheio de amigos. A noite não tinha fim. Pouco importava a esposa e as filhas em casa, noites e noites sozinhas. Eu sempre tinha uma desculpa. Aos poucos deixei de ler os meus amados livros. Parei de ver televisão, uma grande paixão. Os amigos antigos e os parentes agora eu só encontrava ocasionalmente. As finanças começaram a despencar. Meus projetos profissionais naufragavam. Os empregos, geralmente bons, eu desperdiçava. A credibilidade profissional e pessoal indo pelos ares. Fui perdendo casa, apartamento, empresa, terrenos, dignidade. E ganhando um novo círculo de amizade e um novo estilo de vida.

Aí começaram os comentários. Eu não percebia nada de início. Mas a família já começava a sentir… O meu humor oscilante. A insônia. Os tiques nervosos. Não me contentava mais em usar a droga nas noitadas com os amigos. Antes de ir para casa comprava mais! Pensava: é para amanhã. Que nada! Em casa esperava ter a certeza de que todos dormiam e então decidia dar mais uma “tiro”(cheirada) antes de ir pra cama. Depois outra. Então dava aquela paranoia de onde esconder o que sobrou… Aí pensava “vou acabar logo com isso assim posso dormir tranquilo”. E cheirava tudo que tinha levado. E não conseguia dormir. E disfarçadamente saia a procura das “biqueiras” para comprar mais, pois de madrugada os “entregadores” não ofereciam a comodidade do delivery.

Lembro-me que uma noite coloquei embaixo da estante da sala, sob a capa de um cd, as carreirinhas de cocaína e um papel enrolado em forma de canudo. Após cada cheirada eu ia fumar na frente de casa. Ao retornar para a sala percebi que o canudo estava aberto. No papel estava escrito: “pai, se não for por você, que seja por quem te ama. Pare com isso antes que seja tarde”. Uma das minhas filhas não estava dormindo. E enquanto eu fumava ela escreveu este recado. Fiquei arrasado. Envergonhado. O que fazer? Peguei mais três pinos de cocaína que tinha guardado e cheirei todos de uma vez. Era a única forma de esquecer o que tinha lido…

Enquanto o uso da droga aumentava, o dinheiro acabava. Não pensava eu mais nada. Absolutamente nada. Acordava preocupado em como conseguir dinheiro para comprar mais cocaína para aquele dia. Não existia mais o dia seguinte. Pedia emprestado para a família, inventando as desculpas mais esdrúxulas. Fazia negócios e recebia adiantado por trabalhos que nunca realizava. Mas a vida ainda continuava uma festa. Até que percebi que algo estava estranho. Sentia em meus confusos pensamentos que as pessoas começavam a compactuar um plano mirabolante para acabarem comigo. Eu ouvia vozes. Cheirava e me sintonizava com um mundo diferente, onde era possível eu ouvir conversas à distância. Ouvia tudo o que as pessoas falavam sobre mim. Era uma loucura real ou uma real loucura? Não sabia. O que tinha certeza é de que eu detinha algum poder estranho que ameaçava as pessoas e todas estavam contra mim. Um complô digno de um grande líder mundial.

Eu não acreditava em mais ninguém. Nem em mim mesmo. Achava que tinha escutas e câmeras ocultas em todos os lugares. Achava que as pessoas falavam por códigos. Tudo oque me diziam eu, depois, ficava horas e horas tentando decifrar as frases, trocando letras e invertendo palavras para chegar a uma descoberta. Nunca conseguia. Mas tinha a certeza absoluta de que havia outro mundo paralelo e que não me aceitavam nele. Sofria. E eu queria ser aceito e me revoltava sentir que não confiavam em mim o suficiente para me aceitarem. Eu brigava com todo mundo. Nenhuma amizade resistia a minha psicose provocada pela droga. Aliás, nessa época eu já comecei a experimentar craque, misturado a maconha. Uma combinação chamada de “mesclado”. Mas minha preferência era e sempre foi a cocaína. Aquelas carreirinhas brancas que, ao serem inaladas, abriam imediatamente meu celebro para novas sensações.

Droga não é o mal. A droga é um composto químico. O problema começa quando pessoas tomam drogas como se fosse uma licença para poderem agir como babacas. E eu havia me transformado num perfeito “banana”. Com medo. Muito medo de tudo! Comecei a frequentar os botecos mais distantes possíveis, alguns até em cidades da região, para não ser reconhecido. Logo achava que lá já existia um complô contra mim, e mudava novamente de lugar. O dia nunca chegava. Era uma noite sem fim. Uma escuridão. Vozes e vozes no meu ouvido. Os sons em volume altíssimo vindo dos mais diferentes lugares. Um ronco de motor de carro à distância era motivo para eu me alarmar e correr me esconder. Quando não tinha cocaína corria para uma “farmácia” que tinha numa gaveta do armário e pegava qualquer tipo de remédio em comprimidos e esfarelava para poder cheirar. O nariz não parava de arder. A coriza constante. O gosto amargo na boca durante as 24 horas do dia. E bebida, muito bebida para que as drogas ficassem mais potente. Bebia tudo. Pinga, cerveja, whisky, vodca, licor, perfume… Tudo que tivesse álcool.

Ninguém mais fazia parte da minha vida. Eu vivia um universo particular, cercado da companhia de figuras que minha mente criava e que eu jurava serem verdadeiras. E a cada vez que eu usava droga, buscava desesperadamente aquela sensação que sentia anos atrás, quando comecei a usá-las. Mas não conseguia. Era preciso mais e mais e mais.

Minha vida ficou sem sentido, tentei me matar algumas vezes, meus “amigos” me agrediam em brigas sem sentido. Sim, porque quando acaba a sua droga e o dinheiro que você tinha no bolso, os amigos “vazam”. Aqueles que te abraçavam, se voltam contra você. Mas não mudei pela dor. Mudei pelo amor. E quem me tirou dessa escuridão foi minha família. Aquela para qual eu havia mentido, lesado e desprezado.

Chegou um dia em que eu não tinha mais nem força física para dizer “não”. E assim, forçadamente pacífico, drogado, com o corpo todo machucado pelas surras que havia tomado na rua, eu olhei para minha esposa e minhas irmãs e disse: “estou cansado. Me ajudem pelo amor de Deus”. E, pela primeira vez, senti realmente o amor. Elas não me julgaram. Não me criticaram. Não jogaram na cara tudo o que eu havia aprontado. Elas simplesmente me envolveram num círculo de amor e carinho. Estenderam suas mãos não me deixando cair ainda mais. E assim fui internado numa clínica de recuperação de pendentes químicos, onde fiquei por cerca de seis meses.

De repente me vi fechado com outros 75 homens. De todo tipo, de todas as idades, das mais diferentes classes sociais e culturais, mas todos com um ponto em comum: vontade de recomeçar a vida.

Foi difícil, muito difícil, me adaptar. Me impor. Não ceder aos mais fortes. É como se fossem as leis de uma prisão. Mas consegui.

Em nenhum momento deixei de ser eu mesmo, nem abaixei a cabeça. Desde o início me ensinaram lá que para ter coragem de aceitar uma internação longa, sem nenhum contato com familiares e amigos, é preciso ter muito amor e vontade. Saber que as pessoas que eu amo estavam sentindo orgulho de minha força de vontade, me deixava mais forte. Saber que algumas outras pessoas duvidavam que eu chegaria ao fim do tratamento, me desafiava a seguir em frente.

Lá eu senti dor, chorei, briguei, mas aos poucos comecei a sorrir, a sentir bem estar, alegria, companheirismo.

Lá me levantava por volta das 5 da manhã. Recebia medicamentos, tratamento psicológico e clínica, terapias e trabalho. Muito trabalho. Fiz coisas que nunca tinha feito. Lavei roupas, lavei banheiros, rastelei bosques imensos, fiquei com as mãos machucadas pelos cabos de enxadas nas roças. Horários rígidos. Disciplina. Um estilo de vida a que não estava acostumado. Fui aprendendo que tudo na vida tem sua hora. Que existem regras em cada ação no nosso dia a dia. Fui aprendendo o que é compromisso e responsabilidade e fui me limpando das drogas. Comecei a sentir os cheiros, o paladar. E descobrindo Deus.

Lá passei momentos difíceis, pois era a forma de me preparar para enfrentar as dificuldades do mundo aqui fora sem procurar cumplicidade nas drogas.

Muitos dos companheiros que começaram o tratamento comigo foram desistindo ao longo do caminho. Dos 36 homens que faziam parte do meu grupo inicial, apenas 10 chegaram ao final do tratamento. Ao longo desse período fui me sentindo orgulhoso de mim mesmo graças, principalmente, ao amor que recebi da minha família. Numa visita autorizada, que durou um final de semana, um mês antes da minha alta hospitalar, fiquei sabendo que a Maxxi’s, a revista mais conceituada da região, já tinha um lugar reservado para quando eu voltasse. Saber que teria um emprego me esperando ao voltar para casa foi essencial no meu processo de recuperação. E está sendo fundamental nessa caminhada de sobriedade que vivo atualmente.

Hoje estou trabalhando, vivendo com minha família e reaprendendo a usufruir a liberdade. Dou os primeiros passos. Como uma criança aprendendo a andar. Porém sabendo quais os caminhos que posso percorrer e quais os que devo desviar. Agora é hora de iniciar, de pensar na luz, de encontrar prazer nas coisas simples de novo. Um novo estilo de cabelo, novos hábitos mais saudáveis ou aquele velho desejo de escrever um livro, dominar o computador, ou qualquer outra coisa? Olha quanto desafio! Quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus me esperando. Estou me sentindo sozinho? Besteira! Tem tanta gente que eu afastei com o meu “período de isolamento”, tem tanta gente esperando apenas um sorriso meu para “chegar” perto. Quando me tranquei nas drogas nem eu mesmo me suportei. Fiquei horrível. O mau humor vai comendo meu fígado, até a boca ficar amarga.

Estou em recuperação, sem álcool, sem droga e sem festas, e estar trabalhando e convivendo com minha família é o maior presente que eu tenho, pois hoje eu tenho amigos de verdade, e não traficantes ao meu lado. Tenho pessoas que me amam e torcem por mim e sei que a dependência química e alcoólica é uma doença incurável, progressiva e fatal e que se eu não cuidar posso voltar para onde eu estava e ficar pior ainda. Pois eu não sou diferente do cara que está na rua pedindo esmola para comprar uma garrafa de bebida alcóolica ou roubando para comprar crack. A pessoa e os métodos podem ser diferentes, mas a doença é a mesma. E as consequências também.

Se você tem um amigo ou um parente que usa droga, entenda que é uma doença e, com amor, você pode conseguir conscientizá-lo da importância do tratamento, pois sozinho ninguém consegue sair dessa. São muitas tentações e fraquezas. Não se drogue por não ser capaz de suportar sua própria dor. Eu estive em todos os lugares e só me encontrei em mim mesmo.

Neste espaço aproveito para agradecer minha mãe, minha esposa, minhas irmãs e minhas filhas. Essas mulheres fortes que acreditaram em mim quando ninguém mais acreditava. E, um pedido especial de perdão às pessoas que eu tenha prejudicado e deixado de cumprir as obrigações profissionais, lesando-as de alguma forma. Peço um voto de confiança, pois tudo o que desejo é poder honrar meus compromissos e voltar a andar de cabeça erguida e dormir com a consciência tranquila.

Sei que nada é um conto de fadas e que aquela velha história de ‘viveram felizes para sempre’ ainda tem muito para acontecer . Mas, só por hoje, eu sou feliz!”

Hoje nem eu mesmo confio em mim e sei que para me manter na sobriedade, devo viver um dia de cada vez. Só por hoje, para que exista o amanhã.

Internado na clínica, numa noite fria, ouvi uma canção que me mostrou o que estava acontecendo. Ela dizia assim: “Eu não entendo um Deus assim, tão louco de amor por mim. Eu não entendo, sou tão fraco. Por que ele me escolheu? E para confundir os fortes gravou meu nome em suas mãos. Deus, você me levantou do chão, enquanto a multidão jogava pedras! Deus, você me perdoou e esse amor eu não esqueço…”.

Dia desses olhei para o passado. E conferi, tristemente, que só neste último ano perdi sete amigos. As formas foram as mais variadas: acidente de trânsito, suicídio, parada cardíaca, etc. Mas a causa foi apenas uma: a droga.

O mandamento diz: “Amar o próximo como a si mesmo”. Se você conhece alguém perdido no caminho da dependência química ou alcóolica, antes de criticar, procure ajudar. Encaminhe para tratamento. Existem muitas e boas clínicas sem custos. Leve-o a um grupo de apoio. Estenda a mão.

Cair é do Homem. Levantar é de Deus.

 

José Antonio Jayme